"Fidelizar"

"É nos países mais ocidentais do mediterrâneo, como Portugal, que estão as oportunidades para crescer”
Quem o diz é o CEO Monarch, Andrew Swaffield.

Em contraponto com os países do mediterrâneo oriental (Turquia, Egipto, Tunísia), estão a ter quebras com grande significado.

A atividade turística tem batido sucessivos recordes em Portugal. Até Setembro nove milhões de hóspedes internacionais, 30 milhões de dormidas, as receitas turísticas aproximarem-se dos 10 mil milhões de euros em nove meses. Mês após mês o turismo reforça a sua importância para a economia nacional, destacando-se como uma das atividades mais relevantes para o PIB nacional.

Quem vem a Portugal fica bem impressionado, mas isso não chega. São pessoas que vêm cá devido a fatores conjunturais de ordem externa, e a nível interno é necessário aproveitar esta oportunidade para fidelizar. Para criar a vontade de repetir o destino e experienciar mais do nosso País. Apostar no que Portugal tem de único e que é reconhecido unanimemente por quem nos visita: um património cultural e natural inigualável

Mas só se vende aquilo que temos; a nossa oferta e os nossos destinos são compostos por um rico e diversificado património cultural, natural e ambiental, entre outros recursos, combinados com serviços qualificados de hotelaria, de transportes, de animação e restauração, administrativos e organizativos, entre outros. Estes são atributos de sobra para, com base nos conceitos e metodologias abordados, desenvolvermos experiências turísticas únicas e inesquecíveis.

Uma mobilização para a importância do turismo, quer das autarquias, quer dos serviços de apoio, como a saúde, a segurança e nas infraestruturas. É necessária uma modernização das zonas turísticas. Isto deve ser um desígnio nacional.

Ricardo Carvalho | Business Unit Manager - Project Finance Audite

Coloque-nos as sua dúvidas. Poderá fazer o seu pedido de informação AQUI



Mais notícias